Pr. Guilherme de Pádua exclui redes sociais após anúncio de série sobre crime

A HBO Max prepara uma minissérie sobre o assassinato da atriz Daniella Perez, filha da escritora Glória Perez.

O ex-ator Guilherme de Pádua, atualmente pastor de uma igreja evangélica de Belo Horizonte, deixou as redes sociais após a notícia de que a HBO Max está preparando uma minissérie sobre o assassinato da atriz Daniella Perez, filha da escritora Glória Perez.

O crime ocorreu em 1992 e Guilherme foi condenado e preso pelo assassinato de Daniella. Ele saiu da prisão em 1999, e algum tempo depois, se tornou pastor evangélico.

Depois da divulgação da série sobre o crime, o pastor excluiu o perfil oficial que tinha no Instagram com cerca de 40 mil seguidores. Segundo informações, ele criou outro perfil privado, que tem pouco mais de 600 pessoas.

De Pádua também parou de atualizar o canal que tem há alguns anos no YouTube, onde comentava sobre a sua conversão.

A série

A produção fica por conta de Tatiana Issa e o roteiro por Guto Barra. A série irá mostrar principalmente a luta de Glória Perez por Justiça.

Na época do assassinato, a autora de novelas chegou a colher 1,3 milhões de assinaturas para mudar a lei e tornar homicídios qualificados crimes hediondos, inafiançáveis.

Além da mãe de Daniella, o ator Raul Gazolla, marido da atriz na época, também vai participar do documentário. A previsão de estreia é para 2022.

O Crime

A atriz Daniella Perez foi assassinada em 1992 por Guilherme de Pádua, com quem fazia par romântico na novela “De Corpo e Alma”, e por Paula Thomaz, mulher do ator na época.

De acordo com o processo, a motivação para o crime foi o fato de Guilherme acreditar que seu papel na novela estava diminuindo por culpa da atriz.

Nova vida do ex-ator

Guilherme de Pádua atualmente é pastor em uma Igreja Batista da Lagoinha em Belo Horizonte. Em 2017, ele se casou com a maquiadora Juliana Lacerda. O ex-ator mora em Minas Gerais com a nova esposa.

Ele se formou recentemente no Seminário Carisma, curso para se tornar um pastor da Igreja Batista da Lagoinha.

“Ele esperou mais de 15 anos para que este dia chegasse, mas, como nós dizemos, tudo no tempo do Senhor”, publicou Juliana Lacerda, na época em que ele foi consagrado.

Guilherme de Pádua em consagração (Reprodução)




FONTE: O FUXICO GOSPEL


Categoria:NOTICIAS